Refluxo Gastroesofágico: o que você precisa saber?

Sumário

O que é a Doença do Refluxo Gastroesofágico?

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma doença digestiva crônica.

O refluxo ocorre quando o ácido do estômago ou, ocasionalmente, o conteúdo do estômago, flui de volta para o tubo de alimentação (esôfago). Este refluxo irrita o revestimento do seu esôfago e provoca a DRGE.

Os sintomas mais comuns do refluxo são queimação no estômago ou queimação no peito (azia). Esses dois sintomas são condições digestivas que muitas pessoas experimentam de vez em quando. Quando eles ocorrem pelo menos duas vezes por semana ou interferem com a sua vida diária, ou quando o seu médico pode descobre danos no seu esôfago, você pode ser diagnosticado com refluxo.

A maioria das pessoas pode gerenciar o desconforto do refluxo com mudanças de estilo de vida e algumas medicações. Mas algumas pessoas com refluxo podem precisar de medicamentos mais fortes, ou mesmo cirurgia, para reduzir os sintomas.

Qual o médico que eu devo consultar?

O médico especialista em Refluxo Gástrico é o Gastroenterologista.

 

Dr Quelson Coelho é Gastroenterologista especialista em Doença do Refluxo com Mestrado em Gastroenterologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

 

Para agendar uma consulta com um Gastroenterologista é importante saber quais são as opiniões de outros pacientes que já consultaram com o médico. 

 

O Dr Quelson é o Gastroenterologista melhor avaliado com Certificado de Excelência pelo Doctoralia por 4 anos seguidos. Ele possui mais de 200 avaliações 5 estrelas.

 

Veja depoimentos reais de pacientes que já consultaram com o Dr Quelson Coelho:

Você pode ver mais depoimentos reais de pacientes que consultaram com o Dr Quelson Coelho CLICANDO AQUI

Agende uma consulta agora com o Dr Quelson Coelho:

Quais são os sintomas do Refluxo?

Os sinais e sintomas da Doença do Refluxo incluem:

  • Uma sensação de ardor no peito (azia), às vezes se espalhando para a garganta, juntamente com um gosto azedo na boca
  • Dor no peito
  • Dificuldade em engolir (disfagia)
  • Tosse seca
  • Rouquidão ou dor de garganta
  • Regurgitação de alimentos ou líquido azedo
  • Sensação de um nódulo na garganta

 

Leia também sobre Gastrite Nervosa

Quando consultar um médico?

Procure atendimento médico imediato se sentir dor no peito, especialmente se tiver outros sinais e sintomas, como falta de ar ou dor na mandíbula ou no braço.

 

Estes podem ser sinais e sintomas de um ataque cardíaco.

 

Marque uma consulta com o seu médico se tiver sintomas graves ou frequentes de DRGE. Se você tomar medicamentos para azia mais de duas vezes por semana, marque uma consulta com o Dr Quelson Coelho.

Agende a sua consulta agora!

O que causa a Doença do Refluxo Gastroesofágico?

O refluxo é causado por um retorno do ácido do estômago para o esôfago.

Quando você engole, o esfíncter esofágico inferior – uma faixa circular de músculo em torno da parte inferior do esôfago – relaxa para permitir que o alimento e ou líquido fluam para baixo em seu estômago. Então, ele fecha novamente.

 

No entanto, se esta válvula relaxa anormalmente ou enfraquece, ácido do estômago pode fluir de volta para o esôfago, causando azia frequente. Às vezes isso pode acontecer tantas vezes que pode atrapalhar sua vida diária.

Este constante retorno de ácido pode irritar o revestimento do seu esôfago, fazendo com que ele se torne inflamado (esofagite). Ao longo do tempo, a inflamação pode desgastar o revestimento esofágico, causando complicações como sangramento, estreitamento esofágico ou Esôfago de Barrett (uma condição pré-cancerosa).

As condições que podem aumentar o risco de refluxo são:

  • Obesidade
  • Abaulamento do topo do estômago para cima no diafragma (hérnia hiatal)
  • Gravidez
  • Fumar
  • Asma
  • Diabetes
  • Retardo de esvaziamento estomacal
  • Doenças dos tecidos conjuntivos, como a esclerodermia

Qual exame para Refluxo?

SEUS SINTOMAS: Seu médico pode ser capaz de diagnosticar DRGE com base em azia frequente e outros sintomas.

 

ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA: A endoscopia é uma maneira de examinar visualmente o interior do esôfago e estômago. Durante a endoscopia, o médico insere um tubo fino e flexível equipado com uma luz e uma câmera (endoscópio) na garganta.

Seu médico também pode usar a endoscopia para coletar uma amostra de tecido (biópsia) para testes adicionais. A endoscopia é útil na busca de complicações do refluxo, como o esôfago de Barrett.

 

PHMETRIA ESOFÁGICA: Trata-se de um dispositivo para medir o ácido durante 24 horas. Esse dispositivo identifica quando, e por quanto tempo, ácido do estômago regurgita em seu esôfago. A pHmetria esofágica utiliza um tubo fino e flexível (cateter) que é colocado através de seu nariz em seu esôfago. O tubo se conecta a um pequeno computador que você usa em torno de sua cintura ou com uma alça sobre o ombro.

 

MANOMETRIA ESOFÁGICA: Trata-se de um teste para medir o movimento do esôfago. A manometria esofágica mede o movimento e a pressão no esôfago. O teste envolve colocar um cateter através de seu nariz até o seu esôfago.

 

 

Agende a sua consulta agora!

Qual é o melhor remédio para Refluxo?

O tratamento para a azia e para os outros sinais e sintomas de refluxo geralmente começa com medicações que controlam ácido (anti-ácidos). Se você não sentir alívio dentro de algumas semanas, seu médico pode recomendar outros tratamentos, incluindo medicamentos e em casos mais graves, até cirurgia.

Além dos medicamentos algumas mudanças no estilo de vida podem ajudar a reduzir a frequência da azia. Considere tentar:

Manter um peso saudável. O excesso de peso pode aumentar a pressão sobre o seu abdômen, empurrando seu estômago para cima, ajudando o ácido a retornar para seu esôfago. Se seu peso é saudável, trabalhe para mantê-lo. Se você está com sobrepeso ou obeso, trabalhe lentamente para perder peso.

Evite roupas apertadas. Roupas que se encaixam firmemente em torno de sua cintura podem aumentar pressão sobre o seu abdômen e sobre o esfíncter esofágico inferior.

Evite alimentos e bebidas que provoquem azia. Cada pessoa terá gatilhos específicos. Gatilhos comuns, como alimentos gordurosos ou fritos, molho de tomate, álcool, chocolate, hortelã, alho, cebola e cafeína podem piorar a azia. Evite alimentos que você sabe que irá desencadear a sua azia.

Comer refeições menores. Evite comer demais, comendo refeições menores.

 

Não se deite depois de uma refeição. Espere pelo menos três horas, depois de comer, antes de deitar ou ir para a cama.

 

Eleve a cabeça da sua cama. Se você tem azia a noite ou ao tentar dormir, coloque a gravidade para trabalhar para você. Coloque blocos de madeira ou cimento sob os pés de sua cama para elevar a cabeceira por cerca de 20 centímetros. Se não for possível elevar a sua cama, você pode colocar uma almofada entre o seu colchão e o lençol para elevar o seu corpo a partir da sua cintura. As almofadas estão disponíveis em farmácias e lojas de suprimentos médicos.

Não fumar. Fumar diminui a capacidade do esfíncter esofágico inferior de funcionar adequadamente.

O Dr Quelson Coelho pode te indicar a melhor Dieta para Refluxo

É provável que seu médico recomende que você experimente primeiro modificações no estilo de vida e medicamentos de venda livre.

Se você não sentir alívio dentro de algumas semanas, seu médico poderá recomendar medicação ou cirurgia.

Medicamentos de venda livre:

As opções incluem:

  • Antiácidos que neutralizam o ácido estomacal: Antiácidos, tais como Mylanta, Rolaids e Tums, podem proporcionar alívio rápido. Mas os antiácidos por si só não curarão um esôfago inflamado danificado pelo ácido estomacal. O uso excessivo de alguns antiácidos pode causar efeitos colaterais, tais como diarréia ou às vezes problemas renais.

 

  • Medicamentos para reduzir a produção de ácido. Estes medicamentos – conhecidos como bloqueadores do receptor H-2 – incluem cimetidina (Tagamet HB), famotidina (Pepcid AC) e nizatidina (Axid AR). Os bloqueadores do receptor H-2 não agem tão rapidamente como os antiácidos, mas proporcionam um alívio mais prolongado e podem diminuir a produção de ácido do estômago por até 12 horas. Versões mais fortes estão disponíveis por prescrição médica.

 

  • Medicamentos que bloqueiam a produção de ácido e curam o esôfago: Estes medicamentos – conhecidos como inibidores da bomba de prótons – são bloqueadores ácidos mais fortes do que os bloqueadores do receptor H-2 e dão tempo para que o tecido esofágico danificado cicatrize. Os inibidores da bomba de prótons de venda livre incluem lansoprazol (Prevacid 24 HR) e omeprazol (Prilosec OTC, Zegerid OTC).

Medicamentos com receita médica:

  • Bloqueadores de receptores H-2 de receita médica: Estes incluem a famotidina (Pepcid) e a nizatidina. Estes medicamentos são geralmente bem tolerados, mas o uso a longo prazo pode estar associado a um leve aumento no risco de deficiência de vitamina B-12 e fraturas ósseas.

 

  • Inibidores da bomba de protões de prescrição médica: Estes incluem esomeprazol (Nexium), lansoprazol (Prevacid), omeprazol (Prilosec, Zegerid), pantoprazol (Protonix), rabeprazol (Aciphex) e dexlansoprazol (Dexilant). Embora geralmente bem tolerados, estes medicamentos podem causar diarréia, dor de cabeça, náusea e deficiência de vitamina B-12. O uso crônico pode aumentar o risco de fratura do quadril.

 

  • Medicamentos para fortalecer o esfíncter esofágico inferior: O baclofeno pode aliviar a DRGE diminuindo a freqüência de relaxões do esfíncter esofágico inferior. Os efeitos colaterais podem incluir fadiga ou náusea.

 

Saiba qual o melhor remédio para Refluxo para você:

Cirurgia para Refluxo:

Em casos menos complexos ou urgentes, o médico pode receitar remédios que inibem a produção de ácido pelo estômago e que reduzem a dor e o desconforto. A cirurgia para refluxo é indicada nas situações que afetam diretamente o funcionamento do esfíncter esofágico inferior.

No caso da hérnia de hiato, por exemplo, uma laparoscopia é realizada a fim de remover essa protuberância e reparar a válvula, caso ela esteja danificada. Outra situação é a confecção ou reparação do esfíncter, para que volte a funcionar de maneira adequada e impeça a infiltração de suco gástrico no esôfago.


Publicado

em

por

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *