Queimação no estômago: o que eu preciso saber

Queimação no estômago pode ser consequência da Gastrite.

A Gastrite é uma inflamação, erosão ou infecção no revestimento estomacal.  O estômago é um dos principais órgãos componentes do sistema digestivo, afinal, ele é responsável por receber todos os alimentos ingeridos.

Esse órgão conta com uma mucosa que o reveste e o protege da ação do ácido clorídrico. Quando essa mucosa inflama, acontece a queimação.

Tal problema causa bastante desconforto. Pode se manifestar em curta duração, no caso da Gastrite Aguda ou longa duração, condição chamada de Gastrite Crônica. Os dois casos são tratáveis e curáveis, desde que o diagnóstico seja precoce e o paciente receba o tratamento adequado.

Quer saber mais sobre a queimação no estômago? Conheça os sintomas, causas e tratamentos dessa doença do sistema digestivo. Vem comigo!

Sintomas da Gastrite

Em determinados casos, a Gastrite é assintomática e pode passar despercebida. Entretanto, quando ela se manifesta, tende a apresentar sinais como indigestão, azia, queimação, náuseas, vômitos, dores abdominais, perda de apetite e diminuição do peso.

A depender da gravidade do problema, a parede do estômago pode sangrar e provocar sintomas mais alarmantes, como escurecimento das fezes e vômito com sangue.

O que causa queimação?

A gastrite é causada, principalmente, pela bactéria Helicobacter Pylori, ou simplesmente, H. Pylori. Essa bactéria está alojada no revestimento do estômago e pode provocar uma fraqueza na mucosa protetora da parede estomacal.

Com isso, os sucos digestivos que o órgão produz causam danos no revestimento dele, gerando inflamações, infecções ou erosões. Outros vírus e bactérias também podem causar gastrite. Além disso, o problema pode estar associado ao refluxo gastroesofágico.

Alguns fatores de risco aumentam a propensão ao desenvolvimento da queimação. Entre eles estão o uso excessivo de analgésicos, a idade elevada, doenças autoimunes, dependência química, estresse, falhas no sistema imunológico e outras situações que fragilizam a parede estomacal.

Como aliviar a queimação

Ao perceber sintomas como dores abdominais, azia, queimação, náuseas e vômitos, não deixe de procurar o gastroenterologista. Esse é o primeiro passo para diagnosticar e tratar o problema. O especialista avaliará sua condição clínica, histórico de doenças digestivas, sintomas existentes, entre outros aspectos para definir se o que você tem é gastrite ou não e se o problema é crônico ou agudo.

Além da tradicional anamnese, o médico pode solicitar exames específicos para detectar a presença de H. Pylori, endoscopia para verificar possíveis inflamações, entre outros testes para identificar a existência de anormalidades. Com base nos resultados, o tratamento adequado pode ser iniciado.

Geralmente, a queimação no estômago é tratada através de medicação, sendo que os medicamentos mais recomendados são os antiácidos, antibióticos, antagonistas H2 e inibidores da bomba de prótons.

A automedicação é contraindicada em todos os casos, ainda que o medicamento seja de venda livre. Somente um bom médico gastroenterologista pode indicar o fármaco adequado, a dosagem correta e duração ideal. Isso aumenta a segurança no processo e a eficácia do tratamento!

Quer saber mais sobre queimação no estômago? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como gastroenterologista em Belo Horizonte!

Saiba mais:

https://drquelsoncoelho.com/cancer-gastrico/
https://drquelsoncoelho.com/dor-na-barriga/

Fonte:

[1] https://www.webmd.com

Comentários

Uma resposta para “Queimação no estômago: o que eu preciso saber”

  1. Avatar de DOUGLAS RODRIGUES MARQUÊS
    DOUGLAS RODRIGUES MARQUÊS

    Fala doutor. Eu sinto uma keimacao no stomago do nada.e dores abaixo do peito lado esquerdo umas fisgadas parece uma faca só jesus.keria marcar a consulta mais sou de muito longe . Itaboraí.rj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *