Litíase Intra-hepática: Saiba o que é

A litíase intra-hepática (LIH) pode ser definida como a presença de cálculos nas vias biliares, independente da presença ou ausência de cálculos na vesícula biliar.

A LIH é uma doença que atinge principalmente mulheres. É muito frequente em países do Sudeste Asiático (China Japão, Coreia do Sul).

Os ductos biliares são canais encontrados no interior do fígado responsáveis por transportar a bile para a vesícula e para o intestino delgado. A bile é uma substância produzida no fígado e que tem importante papel na digestão de alimentos gordurosos.

A causa da litíase intra-hepática não é totalmente compreendida, mas fatores genéticos, dietéticos e ambientais estão associados. A desnutrição e as baixas condições socioeconômicas estão associadas à alta incidência de cálculos intra-hepáticos.

___

QUAIS OS SINTOMAS DA LITÍASE INTRA-HEPÁTICA?

Existem pacientes assintomáticos nos quais a presença do cálculo é encontrada ocasionalmente em exames de imagem abdominal. Os sintomas de litíase intra-hepática podem incluir dor abdominal epigástrica ou na parte superior direita do abdome (quadrante superior direito), icterícia e febre. Pode ocorrer infecção nos canais biliares e progressão para formação de abscesso hepático ou infecção generalizada (sepse) em casos graves. Embora raro,  esses pacientes podem desenvolver alterações na coagulação do sangue.

A propagação de cálculos intra-hepáticos na árvore biliar extra-hepática pode causar pancreatite por cálculo biliar, que pode ser a apresentação inicial de litíase intra-hepática em alguns pacientes.

A associação de colangiocarcinoma (um tipo de câncer das vias biliares) com litíase intra-hepática é bem reconhecida e sua prevalência em pacientes com litíase biliar é de 2,4 a 10,0%.

___

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DA LITÍASE INTRA-HEPÁTICA?

O diagnóstico é baseado em exames de imagem como o ultrassom, tomografia computadorizada, colangiografia por ressonância magnética.

O ultrassom e a tomografia computadorizada abdominal têm uma sensibilidade diagnóstica mais baixa, em comparação com a colangiorressonância, que deve ser o método de escolha utilizado para a exploração de toda a via biliar.

___

QUAIS AS COMPLICAÇÕES DA LITÍASE INTRA-HEPÁTICA?

As principais complicações são: infecções das vias biliares que podem evoluir para abscessos (acúmulo de pus no fígado), infecção generalizada (sepse) e o colangiocarcinoma; insuficiência hepática.

___

COMO TRATAR A LITÍASE INTRA-HEPÁTICA?

O principal objetivo do tratamento da litíase intra-hepática é resolver infecções presentes, prevenir colangite recorrente e subsequente fibrose hepática e prevenir a progressão para colangiocarcinoma.
Os tratamentos endoscópicos envolvem litotripsia colangioscópica trans-hepática percutânea (CPTPL), colangioscopia oral e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE).

O tratamento cirúrgico inclui principalmente incisão no ducto biliar e litotomia, ressecção hepática, reconstrução da estenose do ducto biliar e transplante hepático.

Várias estratégias de tratamento foram propostas como mencionado acima, uma vez que não existe um procedimento extremamente eficaz para o tratamento da pedra intra-hepática. Portanto, é mais importante descobrir a etiologia e a patogênese dos cálculos intra-hepáticos para evitar que a doença aconteça e se desenvolva em vez de curar.

___

4 FATORES DE RISCO QUE CONTRIBUEM PARA A LITÍASE INTRA-HEPÁTICA:

1.      Colestase: é uma condição em que a bile não flui do fígado para o intestino, dessa forma se acumula; pode ser causada por vírus, bactérias, parasitas, drogas ou toxinas, pedras, tumores, autoimunidade, defeitos metabólicos genéticos e obstrução; como resultado, o ácido biliar se acumula no fígado e no sangue e pode causar lesões e originar as pedras;
2.      Infecção: infecção bacteriana pode influenciar a produção e o transporte da bile e os vermes ou ovos dos parasitas podem levar à obstrução, resultando em colestase e inflamação;
3.      Alterações anatômicas nos ductos biliares: qualquer obstrução dos ductos biliares intra-hepáticos pode predispor a colestase e inflamação, logo, pode ocorrer a formação dos cálculos;
4.      Defeito Metabólico: alterações no metabolismo dos ácidos biliares (componente importante da bile) e de outras substâncias pode predispor à formação dos cálculos

Para mais informações, procure seu Gastroenterologista de confiança!

___

LEIA TAMBÉM:

Gordura no fígado: e agora?

Queimação no estômago: o que eu preciso saber

7 sintomas de gastrite crônica

Cirrose tem cura? Descubra aqui.

Proteína dos cereais: a causa da doença celíaca

Úlceras gástricas: Tire suas dúvidas sobre

___

Fonte:

Xi Ran,  Baobing Yin, and Baojin Ma. Four Major Factors Contributing to Intrahepatic Stones. Gastroenterology Research na Practice. 2017.
Xiaobin Feng et al. Classification and management of hepatolithiasis: A high-volume, single-center’s experience. Intratable and Rare Diseases Research. 2012.
Sujit Vijay Sakpal, Nitin Babel, and Ronald Scott Chamberlain. Surgical management of hepatolithiasis. Journal International Hepato-Pancreato Biliary Association. 2009.
Gonçalves MDB et al. Hepatectomia mais anastomose coledocoduodenal em litíase Intra-hepática e em colédoco: relato de caso. Rev. Ciênc. Saúde Nova Esperança – Dez. 2015.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

2 respostas para “Litíase Intra-hepática: Saiba o que é”

  1. Avatar de Anete
    Anete

    Recentemente fiz uma cirurgia
    Derivação biliodigestiva
    Pão voltar a ter complicações

  2. Avatar de Solange Vieira
    Solange Vieira

    Eu tenho litiase intra hepatica, estou muito preocupada, descobri fazendo exames para uma cirurgia de retirada da visicula. Tem algum tratamento para q essas litiases saiam?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *